Hidrodemolição de concreto

Hidrodemolição de concreto

Hidrodemolição de concreto, é um método de trabalho para remover betão. Você usa máquinas de ultra alta pressão de água.

Com jactos/jatos a partir de aproximadamente 1.200 bar, trabalhando daí para cima em termos de pressão. estas máquinas de ultra alta pressão são principalmente. Usadas como máquinas de lavagem/limpeza de alta pressão.

Mas os jactos/jatos de água podem ser tão poderosos que podem soltar pedaços de betão e assim ser usadas para fazer hidrodemolições muitos edifícios de betão têm sérios danos na estrutura, por vezes passados poucos anos. 


Como por exemplo

Parques de estacionamento subterrâneos, pontes, estádios e barragens. uma vez que o betão se começa a desintegrar ele pode, consequentemente, pôr em perigo a estrutura do edifício de forma significativa.

As renovações são necessárias para salvar estes edifícios para se poder renovar o betão, é necessário remover o material que se está a desintegrar daquele que não apresenta falhas.

Neste tipo de trabalho a hidrodemolição é método correto. essa remoção também seria possível com martelos pneumáticos, mas esse processo apresenta grandes desvantagens. os martelos pneumáticos vão causar vibrações.

Na estrutura do edifício e daí podem surgir mais problemas sérios. além disso, ao contrário do que acontece com jacto/jato de água, é quase impossível expor as armaduras de ferro dentro do betão de uma forma limpa.

E sem danos. após a exposição por martelos pneumáticos como primeiro passo, as barras de ferro das armaduras devem ser alvo de um jato/jacto de areia como segundo passo, a fim de remover a corrosão/ferrugem.

Dessas armaduras. este passo demorado e caro de trabalho não é necessário com hidrodemolição, porque a remoção de betão e a remoção de ferrugem/corrosão pode ser feita num único passo de trabalho.

Sem quaisquer outros meios adicionais. por último, mas não menos relevante podemos referir ainda o muito mais barulho/ruído causado pelos martelos pneumáticos que pode ser muito importante se atormentar os moradores.

A oferece máquinas de ultra alta pressão de jacto / jato de água e acessórios para hidrodemolição – com diferentes modelos e diferente classes de poder. você pode encontrar o bico hyjet, desenvolvido especialmente.

Para a remoção de betão e que está patenteado pela nossa empresa, bem como o “ceiling jet” um acessório desenvolvido para aplicar os jactos/jatos de água de forma confortável em tectos/tetos e pisos/pavimentos.


Hidrodemolição recupera estruturas com patologias

Nos Estados Unidos, a recuperação de estruturas de concreto afetadas por patologias ou atingidas por incêndios tem se beneficiado cada vez mais da hidrodemolição. A tecnologia começou a ser testada em 2008, usando robôs.

As máquinas evoluíram e a demanda por elas também. Usando jato d’água sob alta pressão, os equipamentos removem camadas danificadas sem prejudicar as armaduras. Outra aplicação está na remoção de tintas.

A tecnologia aplica microjatos nas cavidades naturais do concreto, provocando o rompimento de estruturas fragilizadas. Um case emblemático ocorreu na cidade de Santa Clarita, no estado da Califórnia-EUA.

Um túnel da rodovia Interstate 5 foi atingido por um incêndio, após a explosão de um caminhão, e algumas camadas de concreto foram submetidas a temperaturas que chegaram a 1.400 ºC. Com o robô, a recuperação.

Foi concluída duas semanas antes do previsto. As camadas afetadas foram totalmente removidas, deixando a área livre para que fosse concretada novamente. A evolução dos robôs, que são controlados via rádio.

Sem expor os operadores a risco, permite que concretos com até 400 MPa de resistência sejam removidos. Por isso, as aplicações dos equipamentos são cada vez mais diversificadas.

Eles estão presentes em rodovias de concreto que precisam ser recuperadas e também em tabuleiros de pontes. Fora dos Estados Unidos, a hidrodemolição já foi usada em reparos no Panamá e no tratamento de patologias.

Na Europa, reparos em túneis, pontes e barragens têm requerido cada vez mais a hidrodemolição. No Brasil, a tecnologia ainda utiliza equipamentos operados manualmente e com capacidade de reparar poucas áreas.

São máquinas que conseguem cobrir até 5 m² por hora, enquanto os robôs cobrem uma área 10 vezes maior no mesmo tempo. Se comparado com britadeiras, que dificilmente deixam de afetar as armações.

A área coberta pelos robôs chega a até 50 vezes maior por hora de trabalho. As empresas especializadas em fabricar esses robôs preparam novos passos para tornar a hidrodemolição ainda mais sintonizada.

Com processos sustentáveis. Um deles é permitir que as máquinas utilizem água de reúso. A outra é que o equipamento colete os resíduos de concreto, a fim de que eles possam ser usados como agregados na fabricação.

De artefatos, como blocos de concreto e pavers. Atualmente, o maior fabricante de robôs projetados para a hidrodemolição é a sueca Conjet. A empresa levou para a World of Concrete.

Que acontece de 2 a 6 de fevereiro de 2015 em Las Vegas-EUA, uma nova versão de suas máquinas. São equipamentos com scanners, que, antes de entrar em operação, fazem uma leitura do concreto danificado.

E mapeiam a área que deve receber os jatos d’água. “É um avanço que irá trazer ganho de tempo na recuperação de estruturas e permitirá que as máquinas forneçam um diagnóstico completo sobre as patologias a serem extraídas”.


Hidrodemolição

O hidrojateamento é uma técnica que pode ser aplicada em diversos processos, desde desentupimentos residenciais ou em industrias, como também na construção civil. O método, chamado de hidrodemolição.

Consiste na remoção controlável, com Ultra Alta Pressão, de materiais (normalmente concreto) nas mais diversas durezas. O processo de hidrodemolição apenas remove o material trincado ou áreas pré-determinadas.

Para posterior inspeção, sem danos às estruturas que se encontrem por de trás do concreto. Ele deixa a estrutura metálica interior já limpa de corrosão e decapada (hidrodecapagem resultante da alta pressão).

Assim como a superfície de concreto já lavada e pronto a agregar ou colar uma nova camada do material. O método de hidrodemolição pode ser utilizado em edifícios, pontes, estradas e em outras estruturas feitas de concreto.


Como funciona

No método de hidrodemolição, o jato de água de alta pressão é dirigido contra a superfície de concreto onde penetra os vazios e microfissuras. Quando a pressão da água no interior dos espaços vazios supera.

A pressão do concreto, ocorre uma pequena explosão que rompe o mesmo. O concreto é removido até uma determinada profundidade, respeitando, no entanto, as armações ou qualquer estrutura metálica integrada.

No interior. Sua aplicação permite a restauração e o retoque de projetos onde é necessário remover o material danificado, deixando uma estrutura intacta.


Vantagens da hidrodemolição

– Processo limpo, livre de poeiras.

– Redução significativa do nível de poluição sonora

– Permite remover seletivamente, respeitando estruturas metálicas no interior.

– Redução das vibrações e dos danos mecânicos na estrutura base

– Melhor preparação da superfície

– Rapidez e eficácia


Benefícios da hidrodemolição

O uso da hidrodemolição beneficia tanto o operador e outros trabalhadores do local, como as pessoas que vivem e trabalham nas proximidades do local. O perigo da poeira de sílica e outras partículas do ar é praticamente.

Eliminado à medida que as partículas ficam presas na água de escoamento, evitando-se lesões causadas pelas vibrações constantes e pelo levantamento pesado dos martelos. Para a área circundante o ruído de um robô.

De hidrodemolição é mínimo, pois não há efeito de percussão. Não há ruído para se espalhar por toda a estrutura, permitindo que o trabalho seja realizado em áreas sensíveis, como locais próximos de hotéis.

Hospitais e empreendimentos residenciais. Não só isso beneficiar o bairro, ele permite que o contratante o potencial de mais horas de trabalho em uma área que poderia de outra forma restringir o uso de martelos.

Um robô de hidrodemolição usa água de alta pressão, que é direcionada para a superfície do concreto onde penetra os vazios e micro-rachaduras. Quando a pressão da água dentro dos vazios supera a pressão do concreto.

You may also like